Submissões Recentes

Item
Temas para 2024
(Instituto Brasileiro de Economia, 2024-01) Campelo Junior, Aloisio; Pelliccione, Ana Victoria; Braz, André; Pinheiro, Armando Castelar; Dianin, Caio; Duque, Daniel; Senna, José Júlio; Pereira, Lia Baker Valls; Ribeiro, Livio; Pires, Manoel; Tobler, Rodolpho; Pessôa, Samuel; Seda, Viviane
Como em todo janeiro, também neste é hora de fazer, ou rever, previsões para o ano à frente. Ao fazê-lo, porém, é importante reconhecer que essas previsões são sempre incertas, posto que o que vai ocorrer nos próximos 12 meses depende diretamente de como a política econômica vai evoluir, aqui e lá fora, o que, por seu turno, depende não só da política em si.
Item
O risco de leniência
(Instituto Brasileiro de Economia, 2023-12) Campelo Junior, Aloisio; Pelliccione, Ana Victoria; Braz, André; Pinheiro, Armando Castelar; Duque, Daniel; Senna, José Júlio; Pereira, Lia Valls; Ribeiro, Livio; Pires, Manoel; Garrido, Marina; Tobler, Rodolpho; Pessôa, Samuel; Seda, Viviane
Na análise de conjuntura, o fim de ano é sempre uma oportunidade para revermos o que ocorreu no ano que se encerra e alinharmos expectativas para aquele que começa.
Item
Diagnóstico do letramento em saúde mental de servidores do GDF
(2023-12-06) Mota, Antonio Claudio Pimentel
Esta pesquisa tem como objetivo realizar um diagnóstico do letramento em saúde mental dos servidores das secretarias de Fazenda e de Planejamento, Orçamento e Administração do Governo do Distrito Federal. Para isso, foi aplicado um questionário sobre letramento em saúde mental aos servidores dessas Secretarias. O questionário foi construído e validado por O'Connor e Casey (2015), e traduzido para o português por Campos (2016). Foi enviado por e-mail a todos os servidores, e preenchido online através da plataforma Survey Monkey. Os resultados da pesquisa foram analisados por meio de estatísticas descritivas e por meio de estratos de amostra classificados em níveis de letramento suficiente, problemático ou inadequado. O letramento em saúde mental dos servidores das Secretarias de Fazenda e de Planejamento, Orçamento e Administração é suficiente para 27,6% dos respondentes. Isso reflete principalmente os aspectos relacionados aos comportamentos dos servidores desses órgãos que provem o reconhecimento dos transtornos, dimensão na qual 40,4% dos respondentes demonstrou nível suficiente de letramento. Ainda que boa parte da amostra tenha alcançado um nível de letramento suficiente para a dimensão comportamento 59,6% dos respondentes ainda apresentam níveis problemáticos ou insuficientes. No que se refere aos conhecimentos sobre tratamento pessoal e sobre onde buscar informações, 94,9% dos respondentes possuem níveis de letramento problemático ou insuficiente. Os resultados da pesquisa demonstraram ainda que mulheres possuem um nível de letramento em saúde mental significativamente maior do que os homens, bem como grupos de pessoas portadoras de condições de saúde como câncer, depressão e ansiedade, ou que fazem uso frequente de medicamentos. Esses resultados ressaltam a importância de políticas de formação e capacitação focadas na saúde mental, visando não só elevar o nível de conhecimento entre os servidores, como também fomentar comportamentos e atitudes positivos em relação a pessoas com transtornos mentais.
Item
The JHSF case: how the company's unique business model set it on an unprecedented growth trajectory during the COVID-19 pandemic
(2024-01-18) Cury, Marcelo Liguori
Despite the profound impact of the COVID-19 pandemic on Brazil's population and economy, some companies were able to grow considerably during the same period. One such company was JHSF (JHSF3), a real estate development and management company, which grew its revenues by 227% in 2 years. This thesis aims to understand the company's business model and to describe the transformation it went through, arguing that its choice of focusing solely on the high-income segment while keeping a fairly diverse portfolio was a key element for the company to achieve such remarkable figures. Through comparative analysis with industry peers, such as Iguatemi and Cyrela, the study highlights how JHSF's unique positioning was key for the company to be able to outgrow its competitors and the sectors it operates in. However, it's important to note that this analysis solely identifies a correlation between these variables rather than establishing a causal relationship.
Item
A prática das emendas parlamentares por meio de transferências especiais: um estudo à luz dos conceitos e regras sobre planejamento, desigualdade regional e controle do orçamento
(2023-12-26) Oliveira, Antonio David Guerra Rolim de
Objetivo – Avaliar o processo de destinação das emendas parlamentares por meio de transferências especiais, previsto no artigo 166-A, inciso II, da Constituição Federal, sob a perspectiva do planejamento orçamentário (PPA 2020-2023), da desigualdade regional, da transparência e o controle orçamentários. Metodologia – Trata-se de pesquisa que buscou realizar descrição e interpretação de dados, utilizando-se abordagem qualitativa, pela avaliação qualitativa dos relatórios de gestão, do ano de 2021, preenchidos no sistema Transferegov, e por meio da e interpretação objetiva dos dados orçamentários, dados demográficos e de medição do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M). A coleta de dados foi feita principalmente por meio de revisão bibliográfica e pesquisa documental, que buscou estabelecer o estado da arte relativo aos conceitos e normas inerentes ao planejamento, desigualdades regionais, transparência e controle orçamentários. Utilizou-se, ainda, de forma complementar, mesmo que não essencial, coleta de dados por meio de duas entrevistas semiestruturadas. Resultados – As transferências especiais realizadas no ano de 2021 estiveram parcialmente de acordo com o planejamento orçamentário representado pelo PPA 2020-2023. No que diz respeito às desigualdades regionais, no aspecto inter-regional, as transferências especiais têm funcionado como um vetor de redução da desigualdade, enquanto num aspecto intrarregional as transferências especiais têm funcionado como um vetor de aprofundamento da desigualdade entre os municípios. Os dados demonstram, no atual momento, um alto grau de opacidade em relação à operacionalização dos recursos transferidos aos estados e municípios por meio de transferências especiais. Em relação ao controle, no que diz respeito às competências de fiscalização, o Tribunal de Contas da União definiu que a fiscalização sobre a regularidade das despesas efetuadas na aplicação de recursos obtidos por meio de transferência especial pelo ente federado é de competência do sistema de controle local, incluindo o respectivo tribunal de contas. Por outro lado, a corte de contas firmou o entendimento no sentido de que a fiscalização sobre o cumprimento, pelo ente beneficiário da transferência especial, das condicionantes que a legitimam e que são previstas no artigo 166-A da Constituição Federal, é de competência federal, incluindo o TCU e a Controladoria-Geral da União. Limitações – A principal limitação da presente pesquisa foi o corte metodológico realizado apenas em relação ao ano de 2021. Referido corte limitou no tempo a execução das emendas e seus impactos. Desse modo, pode ter havido um cenário diferente em outros anos da execução das transferências especiais, o que pode ser objeto de outras pesquisas. Outro fator de limitação da presente pesquisa foi a amostra de pesquisa, que teve que ser limitada em razão do tempo disponível para a coleta de dados. Aplicabilidade do trabalho – O trabalho apresenta um diagnóstico sobre uma novidade no financiamento do federalismo de cooperação brasileiro: as transferências especiais. Portanto, a pesquisa pode servir para o aprimoramento na utilização instituto, por meio do conhecimento dos ganhos e das distorções verificados e apresentados na pesquisa. Contribuições para a sociedade – Os resultados da pesquisa apresentam as características intrínsecas à execução das transferências especiais, que podem servir como objeto de estudo da população e das autoridades responsáveis pela gestão e controle da referida modalidade de transferência de recursos. Desde a comparação da destinação apresentada pelos entes beneficiários com o PPA da União, à análise destinação de acordo com as características dos entes beneficiários em relação às desigualdades regionais, além da apresentação de dados sobre transparência e controle dos recursos, o estudo permitiu compreender as virtudes e os defeitos do instituto das transferências especiais. Originalidade – Não identificamos estudos que comparassem a destinação dos relatórios de gestão das transferências especiais com o plano plurianual da União ou que tivesse realizado a análise comparativa entre os valores recebidos pelos entes beneficiários de acordo com o IDH-M. Também não identificamos estudos que tenham realizado se debruçado sobre a transparência das transferências especiais. Sobre o controle, foram encontrados alguns trabalhos.