O bitcoin é um hedge contra a inflação? Evidências empíricas a partir de surpresas nos anúncios do CPI e do PCE

Data
2023
Orientador(res)
Colombo, Jéfferson Augusto
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar, por meio da estimação e inferência do Modelo Vetorial Autorregressivo (VAR), o efeito de curto prazo dos choques inflacionários no preço do Bitcoin. Em particular, busca-se entender se este último pode ser considerado um ativo que provê proteção contra a inflação. A identificação dos choques inflacionários se dá por meio da análise das surpresas nos anúncios do CPI e do Core PCE nos EUA: a diferença entre a inflação divulgada e o consenso dos analistas. Os resultados, baseados em dados mensais no período entre agosto de 2010 e janeiro de 2023 dos preços do Bitcoin e do ouro, dos índices S&P500 e VIX, do rendimento dos títulos do Tesouro americano de um ano e do componente inflacionário não antecipado, indicam que os retornos do Bitcoin aumentam significativamente após um choque inflacionário positivo, corroborando a evidência empírica que sugere que o Bitcoin pode ser um hedge útil contra a inflação. No entanto, observou-se que a propriedade de hedge inflacionário do Bitcoin é sensível ao índice de preços utilizado e ao período de análise. As evidências desta pesquisa trazem implicações diretas para gestores de recursos, investidores e autoridades monetárias, e contribuem para a vertente da literatura que analisa as propriedades de hedge e safe haven do Bitcoin.


Descrição
Área do Conhecimento