O efeito do ensino tecnológico superior na renda, empregabilidade e alocação no mercado de trabalho em São Paulo

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2019-04-25
Orientador(res)
Marconi, Nelson
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Esta tese é composta por dois ensaios nas áreas de mercado de trabalho e de educação, com foco, principalmente, na educação de nível superior, no tipo de formação profissional tecnológica. O principal objetivo é ajudar a compreender os efeitos que a formação no ensino superior tecnológico provoca na inserção dos egressos no mercado de trabalho formal paulista, principalmente nos anos iniciais de carreira. Em particular, o trabalho se concentra na análise dos dados das Faculdades de Tecnologia de São Paulo (Fatecs), instituição de grande representatividade nesse segmento. As análises são feitas a partir de informações do Centro Paula Souza que, em conjunção com indicadores de mercado de trabalho formal, constituíram uma base única e nunca explorada. Dessa forma, foi possível estimar os efeitos da formação sobre os retornos salariais e a empregabilidade, além de analisar a alocação dos indivíduos segundo sua compatibilidade com a área de formação ao qual se dedicou. O primeiro artigo avaliou o impacto de se formar em uma Fatec sobre os salários e sobre a probabilidade de estar empregado no mercado de trabalho formal paulista. Para tal, empregou-se a estratégia de Regressão Descontínua, método que possui propriedades desejáveis e permite estimar uma relação causal entre formação e os indicadores de trabalho para aqueles que se graduam (estimador de tratamento local). Não foram encontradas evidências de ganhos salariais ou de melhores oportunidades de empregabilidade quando comparados à média do grupo de comparação. Contudo, quando analisados relativamente aos indivíduos que não obtiveram mais escolaridade, foram encontrados ganhos salariais de aproximadamente de 18,0%. Já comparativamente aos que optaram por outro curso de nível superior, o efeito encontrado foi negativo em cerca de 15,0%. O segundo artigo, por sua vez, investigou como o aprendizado e as habilidades gerais ou específicas adquiridas na faculdade estão sendo utilizados no mercado laboral à luz do campo de estudo de mismatch entre ocupação e formação. Indicadores públicos e critérios objetivos baseados na literatura foram utilizados para o cálculo dos indicadores de incompatibilidade da formação com a exigência da ocupação exercida em dois sentidos: horizontal (desvio da área de formação) e vertical (adequação do nível de escolaridade requerida). Verificou-se que a parcela de pessoas em situação de incompatibilidade de área de formação e de nível de escolaridade é alta para os alunos da Fatec e que essa situação tem efeito negativo sobre os salários nominais.


Descrição
Área do Conhecimento