Avaliação do impacto do uso de câmeras corporais pela Polícia Militar do Estado de São Paulo

Data
2022-10
Orientador(res)
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

A Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) vem adotando, nos últimos anos, uma série de iniciativas com o objetivo de reduzir o uso desproporcional da força policial, dentre elas, o uso de câmeras corporais. O projeto de uso de câmeras corporais da PMESP é uma das maiores iniciativas de uso de câmeras no mundo, uma vez que se trata da maior força policial brasileira e pressupõe o uso de câmeras durante todo o turno por todos os policiais. Esse estudo avalia o impacto do uso de câmeras corporais em batalhões da Região Metropolitana de São Paulo sobre o uso da força policial e discute os possíveis mecanismos que explicam os resultados encontrados. Para tanto, utiliza-se o método “diferenças-em-diferenças” que explora a distribuição faseada da tecnologia nas unidades da Polícia Militar do Estado de São Paulo, entre junho de 2021 e julho de 2022, e compara áreas com e sem uso de câmeras. Os resultados indicam que essa tecnologia cumpriu um papel fundamental na redução do uso excessivo da força: áreas de companhias de polícia que adotaram a tecnologia tiveram as mortes decorrentes de intervenção policial reduzidas em 57% em relação às áreas de companhias que não adotaram. Não foram identificadas reduções em indicadores que podem refletir mudança de esforço policial como prisões e ocorrências criminais. Ao contrário, houve aumento de registros de ocorrências por porte de drogas e porte de armas. Ademais, áreas onde as câmeras estão sendo utilizadas não apresentaram trajetória distinta de indicadores criminais de homicídio e roubos. Verifica-se também um aumento dos registros no sistema da Polícia Militar, notadamente de casos de violência doméstica.


Descrição
Área do Conhecimento