FGV Social - Livros

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 10 de 10
  • Item
    Empresas petrolíferas e a fronteira mundial em Ciência e Tecnologia
    (FGV Social, 2023) De Negri, Fernanda; De Negri, João Alberto; Neri, Marcelo
    Este livro tem o objetivo de analisar as estratégias de pesquisa e desenvolvimento da Petrobras e como elas se relacionam com a fronteira mundial da ciência e tecnologia. Organizamos uma base de dados inédita sobre os registros de patentes e artigos científicos fomentados na cadeia de produção. A partir da caracterização das mais de 130 mil patentes depositadas pelas dez maiores empesas petroleiras nos últimos 20 anos, buscou-se direções sobre quais tecnologias estão efetivamente sendo produzidas por essas empresas e de como tem se movido a fronteira de conhecimentos nesse setor. Análise de cluster com base em métodos de processamento de linguagem natural não sugere mudança nas estratégias tecnológicas das grandes empresas em direção à novas fontes de energia ou a tecnologias mais sustentáveis. Isso é corroborado pela estagnação das chamadas “patentes verdes”. Por outro lado, o uso de inteligência artificial, tem crescido de forma sustentada nos últimos anos, especialmente na área sísmica. A análise das redes de pesquisadores fomentados pelas maiores petroleiras do mundo sugerem artigos com mais novidades científicas tendem a ser mais citados independentes da idade de publicação. Há liderança dos pesquisadores de origem chinesa. O perfil da produção científica brasileira é ainda muito heterogêneo. O crescimento em quantidade de artigos científicos publicados não foi acompanhado pela qualidade das publicações. Os resultados mostram um impacto positivo relevante da Petrobras sobre a produção científica no Brasil. O estudo dos fornecedores mostra que as empresas brasileiras do setor de petróleo e gás tem capacitação tecnológica a nível internacional em tecnologias de exploração. Entretanto, pesquisa de campo nossa com pesquisadores vinculados aos projetos da Petrobras, mostrou crescente obsolescência dos equipamentos nos últimos 5 anos,
  • Item
    Atlas das juventudes
    (FGV Social, 2022) Barão, Marcus; Resegue, Mariana; Leal, Ricardo
    O Atlas das juventudes tem como missão produzir, sistematizar e disseminar dados sobre as diversidades, potências e desafios das juventudes para que sejam feitos os investimentos adequados para ativar o potencial desta geração e consequentemente, permitir o seu pleno desenvolvimento, construindo caminhos para um futuro mais inclusivo e próspero para todas as pessoas. Para a publicação liderada pelas organizações Pacto das Juventude pelos ODS e Em Movimento foi desenvolvida uma ampla pesquisa nacional em três etapas com o apoio de parceiros técnicos. A primeira etapa foi realizada com a FGV Social, coordenada pela Professor Marcelo Neri, do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas que desenvolveu a pesquisa quantitativa do Atlas das Juventudes. A etapa avaliou quanto e como mudaram as condições de vida, de educação e de trabalho e as percepções das juventudes, além de uma extensa análise populacional. Com isso, há dados relevantes sobre as juventudes, com cruzamentos possíveis na base de dados aberta e gratuita. O FGV Social trabalhou no processamento, atualização e sistematização das principais bases de dados do país. Construímos panoramas, simuladores, mapas e diversas projeções populacionais para o fortalecimento de ações de promoção das juventudes, empreendidas pelos vários níveis de Estado, pelo setor privado e pela sociedade civil. Realizado pelas redes de organizações Em Movimento e Pacto das Juventudes pelos ODS, o Atlas das Juventudes foi realizado com o apoio do Instituto Sicoob, Instituto Arapyaú, Fundação Itaú Educação e Trabalho, Legado para a Juventude Brasileira, Fundação Arymax, Fundação Roberto Marinho, C de Cultura, Eureca e GOYN. Em parceria com AIESEC, Ashoka, Brasil Junior, British Council, CONJUVE, Conaje, Engajamundo, Escoteiros do Brasil, Fundação Arymax, Fundação FEAC, GIFE, Grupo +Unidos, Historiorama, Impact HUB São Paulo, Instituto Arapyaú, Instituto Elos, Instituto Update, Movimento Choice, Parque Social, Presentizmo, Rede Globo, TETO Brasil, Unesco Brasil e finalmente o FGV Social que atuou no apoio institucional ao projeto e também na autoria técnica do livro.
  • Item
    Bolsa Família Program - a decade of social inclusion in Brazil
    (IPEA, 2013-08-01) Campello, Tereza; Neri, Marcelo Côrtes
    See the book's website on http://www.compaso.com.br/docs/pub24.pdf
  • Item
    Brazilians' perceptions on public policies
    (2014-06-01) Neri, Marcelo Côrtes; Schiavinatto, Fábio
    The Social Perception System of Indicators’ (SIPS) main objective is to present a panel of social indicators to promote monitoring actions of the State and society. The research verifies how the population perceives the quality of different public services put at their disposal by the State, including motivations for use, difficulty to access and the degree of importance attributed to each. In this approach, the SIPS aids the State to better comprehend and act in a more effective manner to citizens’ demands, as well as provide instruments for society to demand actions more in line with their needs and wants from their governing body. Brazilian research institutions have little tradition in studies on social perceptions. The Institute for Applied Economic Research (IPEA) - who in 2014 celebrates fifty years as an important player in the debate over development in the country - has been proficuous in the elaboration of studies that promote the formulation, implementation and evaluation of public policies. However, only recently has it been involved in the generation of primary data. The SIPS surveys taken place in a continuous manner since 2010, as well as participate in partnerships with national and international agents position the IPEA in the frontier of research of social perceptions. This text consolidates some of the main results obtained by the SIPS. It presents social perceptions collected in the field between 2011 and 2013 and deals with impressions of Brazilians regarding themes that are fundamental to the development of the country such as education, work, poverty reduction, urban mobility, public safety, national defense, communications, democracy and happiness. It is hoped that merging objective data analyses with subjective perceptions of the population, revealed by the SIPS, can be an important instrument to aid the formulation of public policies in Brazil. The text presents the main results of 9 thematic surveys within the SIPS and of 3 cross sectional studies that deal with cross sectional themes that can be applied in a similar manner to an ample set of public policies using results of the SIPS research and theoretical elements of the ‘economics of happiness’. See the book's website on http://compaso.com.br/docs/Book_Perceptions_Marcelo_Neri.pdf
  • Item
    Percepções da população sobre políticas públicas
    (NERI, Marcelo Côrtes e SCHIAVINATTO, Fabio, 2014-06-01) Neri, Marcelo Côrtes; Schiavinatto, Fábio
    O Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) tem como objetivo principal apresentar um painel de indicadores de percepção da população voltados para subsidiar reflexões e ações do Estado e da sociedade. As pesquisas realizadas permitem verificar como a população de diferentes estratos e segmentos sociais percebe aspectos ligados ao desenho de diversas políticas públicas. Desta forma, o SIPS fornece subsídios ao Estado para compreender melhor e atuar de maneira mais efetiva no atendimento às demandas dos cidadãos e, também, proporciona instrumentos à sociedade para cobrar dos seus governantes ações mais aderentes às suas necessidades e anseios a partir de amostras representativas de seu conjunto. Com a iniciativa, o Ipea passa a ocupar um importante espaço na produção de dados primários e análises sobre percepção social ainda incipientes no país. Além de fornecer dados e análises sobre a percepção das pessoas, as pesquisas do SIPS permitem comparações internacionais. A iniciativa foi premiada, em 2013, pela Organização das Nações Unidas (ONU) por sua contribuição à pesquisa Meu mundo (My world), que aborda a escolha de temas prioritários com vistas à definição dos novos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) para o período após 2015. Esta publicação, em sua primeira parte, discute temas estruturantes para o país, a partir do olhar da população sobre o mundo do trabalho, a qualidade da educação pública, as causas da pobreza e os meios para a sua superação, a situação da mobilidade urbana e as questões de segurança pública e defesa nacional. A segunda parte, de caráter mais transversal, trata das percepções sobre estrutura social, valores e democracia no Brasil, mídia e meios de comunicação. Além destes temas, o livro trata da economia de felicidade, analisando o comportamento da felicidade dos brasileiros (individual e coletiva) e a relação entre satisfação com a vida e a renda em uma perspectiva internacional. Finalmente, propõe a criação de um índice subjetivo sintético para um conjunto de mais de cem países a partir de dezenas de perguntas sobre percepções aplicadas à questão do desenvolvimento humano. O livro traça, portanto, um rico panorama sobre as percepções dos brasileiros sobre aspectos de suas vidas e do país, em particular no tocante às políticas públicas, para as quais o Ipea visa acima de tudo contribuir. Veja o site do livro em http://compaso.com.br/docs/Livro_percepcoes_Marcelo_Neri.pdf
  • Item
    Inflação e consumo: modelos teóricos aplicados ao imediato pós-cruzado
    (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, 1990) Neri, Marcelo Côrtes
    Este livro visa abordar, através da construção e simulação de modelos teóricos, algumas causas da explosão de consumo desencadeada pelo Plano Cruzado. Procuramos inicialmente captar o comportamento consumidor e financeiro das unidades familiares numa atmosfera cronicamente inflacionária e indexada. Exploraremos em profundidade algumas características institucionais pertinentes à experiência brasileira recente, em especial no que tange à configuração da órbita financeira dos consumidores. Posteriormente, à luz desses modelos, faremos a análise de conjuntura do ano do Cruzado. A principal conclusão resultante deste trabalho é que, embora significativa parcela do aumento de demanda verificado possa ser creditada à adoção de políticas monetárias, fiscais, creditícias, e salariais deliberadamente expansionistas, grande parte desse aquecimento da economia se deveu à operação de alguns mecanismos endógenos acionados pelo próprio processo desinflação.
  • Item
    Cobertura previdenciária: diagnóstico e propostas
    (Ministério da Previdência Social, 2003) Neri, Marcelo Côrtes
    Trabalhando com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD, do IBGE, o autor busca avaliar quais são as principais variáveis que determinam a não contribuição à Previdência Social. Sua apresentação une, de maneira particularmente instigante, o rigor metodológico no tratamento dos dados com a apresentação didática e intuitiva de suas hipóteses, o que torna a leitura do trabalho agradável e proveitosa para um amplo público. O estudo, assim, constitui uma contribuição importante ao debate, apontando alternativas para o desafio de incorporar uma parcela cada vez maior de trabalhadores à Previdência Social, aumentando sua efetividade e buscando os ajustes necessários ao nosso sistema de proteção social.
  • Item
    Superação da pobreza e a nova classe média no campo
    (Editora FGV, 2012) Neri, Marcelo Côrtes; Melo, Luisa Carvalhaes Coutinho de; Monte, Samanta dos Reis Sacramento
    O objetivo deste livro é descortinar o admirável mundo novo no campo mais tradicional dos estudos de pobreza, aqui e alhures, que é a área rural. Se a nova pobreza brasileira fica na periferia e nas favelas das grandes cidades, a velha pobreza continua no campo. Agora existe uma gama de grupos emergentes no velho Brasil que precisam ser identificados e estudados nas suas particularidades.
  • Item
    Programa Bolsa Família: uma década de inclusão e cidadania
    (IPEA, 2013)
    Este livro é fruto de parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), a Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) e o Ipea, em comemoração à primeira década de existência do Programa Bolsa Família. Ao longo destes anos, uma ampla agenda de aperfeiçoamentos foi cumprida. Além da reunião de ações esparsas preexistentes, o Bolsa Família criou uma nova estrutura, aperfeiçoou mecanismos, adicionou benefícios e ampliou o alcance e o impacto distributivo das transferências. Assim, o programa se consolidou e assumiu centralidade na política social brasileira. No nível internacional, é hoje referência em tecnologia de transferência de renda condicionada e está entre as ações mais efetivas de combate à pobreza. O programa atende a cerca de 13,8 milhões de famílias em todo o país, o que corresponde a um quarto da população brasileira. Contando com um sólido instrumento de identificação socioeconômica, o Cadastro Único, e com um conjunto variado de benefícios, o Bolsa Família atua no alívio das necessidades materiais imediatas, transferindo renda de acordo com as diferentes características de cada família.
  • Item
    Brasil em desenvolvimento 2014: estado, planejamento e políticas públicas - volumes 1 e 2
    (IPEA, 2014) Monasterio, Leonardo Monteiro; Neri, Marcelo Côrtes; Soares, Sergei Suarez Dillon
    Marcelo Neri lembrou que, nos últimos anos, o Brasil foi capaz de reduzir desigualdades promovendo avanços sociais, e que o momento é de olhar para o futuro e buscar caminhos para sustentar o desenvolvimento do país. “O Brasil está em movimento. É uma nação em transformação, e olhamos para trás na medida em que isso ajuda a andar para a frente. E este é o objetivo do livro: pensar o país no futuro com propostas de políticas públicas prospectivas”, ressaltou. Neri também destacou a diversidade temática e metodológica da obra, tratando de uma miríade de aspectos voltados para a realidade brasileira contemporânea. “A primeira parte trata da produtividade de uma maneira mais macro seguida de um segundo momento com uma abordagem mais setorial, incluindo terrenos como infraestrutura logística, inovação, financiamento e desenvolvimento. Aspectos institucionais, como ambiente de negócios, também são abordados, assim como a área social, com destaque para saúde, trabalho e educação. O livro ainda sugere a criação de uma comissão de produtividade, olhando para as especificidades nacionais. E o segundo volume vem com o tema desenvolvimento sustentável com uma agenda positiva pós-2015”, resumiu. Sergei Soares, explicou que a questão sobre o aumento da produtividade perpassa o livro em vários momentos e disse que considera a publicação um grande passo para novos planejamentos prospectivos para o Brasil. “Nos últimos anos, tivemos muitos avanços. Reduzimos a pobreza, a desigualdade, aumentamos a oferta de empregos, incentivamos a formalização. No entanto, tais avanços geraram seus próprios desafios que podem ser resumidos em uma pergunta: como aumentar a produtividade, ou seja, como continuar crescendo com a inclusão social? Diante de uma situação tão complexa apresentamos 38 capítulos cheios de ideais que podem apontar novos rumos para o futuro da nossa nação. É o que o Ipea sempre fez, é o que o Ipea sempre faz e é o que esperamos continuar fazendo por mais 50 anos”, concluiu.