FGV Energia - White Paper

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 11 de 11
  • Item
    Seminário: as questões climáticas e os impactos nos negócios de energia
    (2016) Moreno, Bruno; Madeira, Patricia Diehl; Ramos, Camila; Nascimento, Alexandre; Lima, José Wanderley Marangon; Figueira, Luiz Augusto; Moreira, José Roberto; Evangelista, Milas; Souza, Raquel R.
    A presente publicação visa lançar como tema de pesquisa “As questões climáticas e os impactos nos negócios de energia” como um dos temas de importância do centro de estudos em energia.
  • Item
    Temas discutidos no evento de lançamento do Caderno FGV Energia: carros elétricos
    (2017) Delgado, Fernanda; Resende, Larissa; Abreu, Mariana Weiss de; Silva, Tatiana de Fátima Bruce da; Moreno, Bruno; Roitman, Tamar; Motta, Vinícius Neves; Silva, Júlia Febraro França Gomes da
    Nesta edição dos Cadernos, os pesquisadores da FGV Energia analisam os impactos e desafios da inserção dos carros elétricos no mercado brasileiro. Para tanto, primeiramente busca-se entender por que o mundo está considerando cada vez mais carros elétricos. São dois os motivos: devido à transição energética que está ocorrendo no mundo todo em resposta ao aquecimento global; e também devido à maior eficiência energética dos carros elétricos quando comparados aos veículos à combustão interna. Em relação à primeira questão, em novembro de 2016, entrou em vigor o Acordo de Paris, no qual a maior parte dos países do mundo se comprometeu a limitar o aumento da temperatura global neste século em até 2° Celsius em relação aos níveis pré-industriais – enquanto também realizando esforços para limitar esse aumento em 1,5° Celsius. Para esse fim, os países devem reduzir suas emissões de gases causadores do efeito estufa (GEE). Um dos setores da economia global que mais emite GEE é o setor de transportes. Assim, a fim de descarbonizar esse setor, uma transição para a mobilidade elétrica é necessária – mas, para esse esforço realmente ter efeito, a eletricidade que abastece os veículos deve vir de uma fonte renovável, que não emita GEE.
  • Item
    Contribuições Gás para crescer: gestão independente integrada do Sistema de Transporte de Gás Natural
    (2016) Resende, Larissa; Yell, Ieda Gomes; Silveira, Cynthia Santana; Gonçalves, Felipe
    O planejamento da indústria de gás natural e as decisões de investimento e financimento sempre foram na grande maioria das vezes coordenadas pela Petrobas, o que possibilitou que o volume total de gás natural produzido no país mais do que dobrasse ao longo dos últimos dez anos. Entretanto, a atual conjuntura de venda de ativos por parte da estatal e aumento do número de agentes ao longo da cadeia produtiva desse mercado, irão acrescentar duas novas complicações ao problema: estabelecer as normas eficazes para regular a concorrência; conciliar as funções do planejamento da indústria, que são fundamentais em qualquer modelo de gestão do setor, com as variáveis que afetam o investimento privado, tal como a credibilidade das metas de expansão da capacidade produtiva e transportada e a estabilidade das regras contratuais durante o período de amortização dos investimentos.
  • Item
    Contribuições Gás para crescer: anexo 5: harmonização gás natural e energia elétrica
    (2016) Moreno, Bruno; Cunha, Paulo César Fernandes da; Gonçalves, Felipe
    O documento "Anexo 5: harmonização gás natural e energia elétrica" traz uma discussão muito oportuna para o setor de energia brasileiro. Sabe-se que a relação entre energia elétrica e gás natural pode ser benéfica para o posicionamento econômico do Brasil, muito por desenvolver uma indústria relativamente nova, a do gás natural, trazendo consigo a segurança energética, quesito estratégico importante para o desenvolvimento socieconômico de qualquer país.
  • Item
    Contribuições Gás para crescer: oferta de gás natural no Brasil
    (2016) Yell, Ieda Gomes
    O relatório técnico da consulta pública aborda a necessidade de promover a competitividade do mercado de gás natural no Brasil através da ampliação do número de players e ofertantes, o que contribuirá para o aumento da liquidez do mercado.
  • Item
    Contribuições Gás para crescer: anexo 4: estímulo ao desenvolvimento de mercado à harmonização entre regulações estaduais e federal
    (2016) Abreu, Mariana Weiss de; Cunha, Paulo César Fernandes da; Silveira, Cynthia Santana; Gonçalves, Felipe
    O documento "Anexo 4: Estímulo ao Desenvolvimento de Mercado à Harmonização entre Regulações Estaduais e Federal" da Consulta Pública Gás para Crescer traz uma discussão oportuna sobre a identificação de barreiras e melhorias dos incentivos econômicos e regulatórios do uso do gás natural em nichos de mercado para consumo na indústria, cogeração e gás natural veicular GNV. Estes nichos têm importante papel na expansão e desenvolvimeno do mercado de gás natural, dado que a sinalização da existência de uma demanda previsível e de longo prazo é imprescindível para um que os empresários tomem decisões de investimento de longo prazo de maturação.
  • Item
    Contribuições Gás para crescer: implantação do sistema de entrada-saída para reserva de capacidade de transporte
    (2016) Resende, Larissa; Gonçalves, Felipe
    Baseado no artigo de Larry Ruff, intitulado Rethinking Gas Market and Capacity e publicado em 2012, a FGV Energia elaborou a presente contribuição acerca dos diferentes tipos de contratação de capacidade. Ainda, buscou - se analisar, a partir da experiência de sucesso de Victoria na Austrália, em operação desde 1999, se há necessidade de comercializar capacidade nos mercados de gás natural.
  • Item
    Uma análise comparativa da transição energética na América Latina e Europa
    (FGV Energia, 2016) Hollanda, Lavinia; Nogueira, Rafael; Muñoz, Camilo; Varejão, Mônica; Silva, Tatiana de Fátima Bruce da
    The Paris Agreement, approved by 195 countries during UNFCCC’s 21 st Conference of the Parties (COP 21) in December 2015, is a milestone for policies for fighting against climate change. The Agreement’s main goal is to limit temperature increase during this century to levels substantially lower than 2o C in relation to pre-industrial levels and to engender efforts to limit that increase to 1.5 o C. The high adhesion of countries on the first date available for subscription indicates that the world is inexorably moving towards a low carbon economy.
  • Item
    Contribuições para o planejamento energético 2050
    (2015) Hollanda, Lavinia; Lion, Manuella; Lins, Clarissa; Moraes, Raoni
  • Item
    Micro e minigeração no Brasil: viabilidade econômica e entraves do setor
    (FGV Energia, 2015-05) Moreno, Bruno; Hollanda, Lavinia
    Esse trabalho apresenta uma breve avaliação da geração distribuída no Brasil, representada pela mini e microgeração, após a homologação, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), da Resolução Normativa 482/2012. O foco do trabalho será em projetos de mini e microgeração distribuída voltados para o consumidor final – portanto, a análise não contempla projetos de maior porte, que participam dos leilões de energia do mercado regulado