Teoria residual da política de dividendos: um experimento natural

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2017
Orientador(res)
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Em 15 de dezembro de 1976, nova lei das sociedades por ações (S.As.) introduziu, entre outras inovações, a exigência de distribuição mínima obrigatória de resultados anuais ('dividendo mínimo obrigatório'). O presente trabalho considera, como referência conceitual, a chamada teoria residual da política de dividendos, segundo a qual os dividendos são determinados pelo que sobraria após a otimização de decisões tanto de investimento quanto de financiamento. Com o dividendo mínimo obrigatório, introduziu-se uma restrição a esse comportamento por parte das empresas. É testada a hipótese de que a restrição afetou o nível de investimento das empresas, o que é parcialmente confirmado por um termo de interação com o de pagamento de dividendos. É usado um enfoque de 'diferenças em diferenças', com dados contábeis de 233 companhias abertas no período de 1973 a 1980.


Descrição
Área do Conhecimento