Sobre papéis, trajetórias e dádivas: a doação da coleção Benedicto Ottoni para a Biblioteca Nacional

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2020-12-16
Orientador(res)
Heymann, Luciana Quillet
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

A coleção Benedicto Ottoni, composta por milhares de impressos e manuscritos históricos sobre o Brasil, foi comprada por Júlio Ottoni de seu amigo, o jornalista José Carlos Rodrigues, com a promessa que ela seria doada para a Biblioteca Nacional. O objetivo manifesto dessa articulação foi tornar o conjunto um bem público e destinar o dinheiro obtido de sua venda para uma incipiente obra filantrópica chamada Policlínica das Crianças, fundada por Rodrigues dois anos antes em 1909. Buscou-se demonstrar que, para além da motivação manifesta desta ação conjunta, outros aspectos latentes, ligados à obtenção de prestígio e ao estabelecimento de legados, acompanharam a doação. Para alcançar este objetivo, foi preciso explorar o significado da coleção num quadro mais amplo: o que ela representava para seu colecionador, José Carlos Rodrigues; o valor de papéis históricos sobre o Brasil no início do século XX; a percepção sobre a Biblioteca Nacional como custodiadora desse tipo de artefato; e a maneira como a instituição retribuía na forma de bens simbólicos o recebimento de doações. A pesquisa permitiu entrever como a formação de acervos públicos decorre muitas vezes de uma combinação de estratégias individuais e institucionais, resultando no entrelaçamento das partes envolvidas, sob a mediação de bens culturais, que portam marcas de sua trajetória.


Descrição
Área do Conhecimento