A questão da deterioração da qualidade de vida no trabalho na visão dos 'bem-sucedidos'

dc.contributor.advisorHeloani, José Roberto
dc.contributor.authorSanchez da Costa, Maria Carolina
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EAESPpor
dc.date.accessioned2010-04-20T20:14:34Z
dc.date.available2010-04-20T20:14:34Z
dc.date.issued2001-08-24
dc.description.abstractThe following thesis aims to investigate through dialectic approach the successful white-collars' vision about the reality of quality of working life deterioration. We have defined as 'successful those white-collars whose professional and academic background have provided them with broader opportunities before the job market so that they can choose an employment closer to one they would consider as ideal. In this study the 'successful white-collars' wiII be Harvard Business School's MBAs, graduated in 1999, currently holding managerial positions in organizations. During this study we wiII discuss the role of downsizing and reengineering, as well the role of the current high-tech revolution, shrinking workspaces, and investor-driven management in fomenting quality of working life (QWL) deterioration through higher stress level and fear at the workplace. Afterwards, we wiII evaluate the costs of QWL deterioration and how the organizations themselves have corroborated to generate the grounds for an emergent work values crisis. As we proceed with our study, we will characterize the group sample, considering the possible influence of factors such as the 'Harvard' culture and success paradoxes within the contradictory speech analysis. Finally, the interview analysis will lead us to concIude that QWL seems to have been trade off for other attributes as remuneration by the very people who could wish for both, QWL and remuneration, once they hold a privileged position in the job market. The apparent diminishing importance of QWL seems to be related to the conversion of work into transitory experiences under the hegemony of flexibility and employability. It is regrettable to notice that a trend seems likely to arise from the QWL deterioration: the trend in which the organizational practices have brought not only the corrosion of workers' character but also the fragmentation between the concept of working life and life itself.eng
dc.description.abstractA presente dissertação visa investigar, dentro de uma abordagem dialética, a visão do trabalhador-executivo, pertencente ao grupo dos 'bem-sucedidos', a cerca da realidade de deterioração da qualidade de vida no trabalho. Definimos como 'bem-sucedidos' aqueles cuja alta qualificação acadêmica e profissional lhes possibilitam maior poder de escolha dentro do mercado de trabalho e, teoricamente, acesso a empregos por eles considerados mais próximos do ideal. No âmbito dessa dissertação nossos 'bem-sucedidos' serão os 'white-collars' detentores de MBA pela Harvard Business School, atualmente ocupando posições de gerência média em organizações. Ao longo desse trabalho discutiremos o papel dos downsizings e das reengenharias, bem como da nova revolução tecnológica, da redução do espaço fisico de trabalho a cubículos e da primazia da mentalidade gerencial 'Wall-Street' na geração crescente de estresse e medo no trabalho e, consequentemente deterioração da QVT. Em seguida, avaliaremos os custos dessa deterioração da QVT e de que forma as próprias organizações estão indiretamente gerando as bases de uma emergente crise de criatividade, de saúde no trabalho e de corrosão de caráter dos seus trabalhadores. Partiremos, então, para a caracterização de nosso grupo amostral, levantando também a provável influência da cultura 'Harvard' e do estigma de sucesso (com todos, os seus paradoxos) como fatores relevantes a serem considerados na análise das entrevistas e das possíveis contradições do discurso. Finalmente, a análise das entrevistas nos levará a conclusão de que QVT parece estar sendo transacionada por outros atributos como remuneração, justamente por aqueles que estariam em posição de almejarem ambos. A aparente perda da importância da QVT parece estar associada, principalmente, à transformação do trabalho em experiências transitórios sob a primazia da empregabilidade e do culto à flexibilidade. O desconcertante das reações apreendidas nas entrevistas é a sinalização de uma tendência que a cada dia parece se tornar mais realidade: a de que as práticas organizacionais trouxeram como efeito colateral danoso não apenas a corrosão do caráter do trabalhador, mas a própria fragmentação da idéia de vida no trabalho e fora dele.por
dc.identifier.citationSANCHEZ DA COSTA, Maria Carolina. A questão da deterioração da qualidade de vida no trabalho na visão dos 'bem-sucedidos'. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2001.
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/4679
dc.language.isopor
dc.subjectQualidade de vida no trabalhopor
dc.subjectDesenvolvimento organizacionalpor
dc.subjectAmbiente de trabalhopor
dc.subjectExecutivospor
dc.subjectPercepçãopor
dc.subject.areaAdministração de empresaspor
dc.subject.bibliodataQualidade de vida no trabalhopor
dc.subject.bibliodataDesenvolvimento organizacionalpor
dc.subject.bibliodataAmbiente de trabalhopor
dc.subject.bibliodataExecutivospor
dc.subject.bibliodataPercepçãopor
dc.titleA questão da deterioração da qualidade de vida no trabalho na visão dos 'bem-sucedidos'por
dc.typeDissertationeng
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
1200102319.pdf
Tamanho:
3.05 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição:
PDF