A abordagem da responsabilidade social corporativa no Brasil pela mídia de negócios: um estudo longitudinal da Revista Exame

Data
2020-09-24
Orientador(res)
Silveira, Rafael Alcadipani da
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

A construção do significado de Responsabilidade Social Corporativa (RSC) tem influência no comportamento das empresas. E a mídia de negócios se mostra uma arena importante onde os entendimentos de RSC são deliberados, modificados e disseminados. Muito se discute sobre o tema, mas nota-se uma escassez de trabalhos que retratam as especificidades dos países em desenvolvimento. Esta tese contribui para ampliar estudos sobre RSC no Sul Global e tem como objetivo analisar como é a abordagem da mídia de negócios sobre a RSC no Brasil. Para isso identifica e caracteriza o contexto em que a RSC opera no Brasil para promover o desenvolvimento sustentável; examina dos argumentos utilizados pela Revista Exame para legitimar a RSC à luz da perspectiva teórica política de RSC; e analisa o escopo da RSC no Brasil e contrasta os compromissos pelos quais as empresas estão sendo chamadas a se responsabilizar com as iniciativas que elas assumiram. Foi realizado um estudo qualitativo longitudinal do período de 2000 a 2019 da Revista Exame, por meio da análise crítica de conteúdo de 395 páginas dos Guias Exame de Boa Cidadania Corporativa e de Sustentabilidade. Os resultados demonstram a combinação de argumentos racionais tecnocráticos e desenvolvimentistas com argumentos morais para justificar a RSC, esta é então legitimada como forma relevante de condução de relações internacionais e motivada pelas exigências do mercado e pela necessidade de garantir a sobrevivência das empresas em um cenário de pobreza, desigualdade social e risco de escassez de recursos naturais. A pauta ambiental prevaleceu sobre a social e a agenda global prevaleceu sobre a nacional. O desenvolvimento ambiental passou a ser valorizado como um negócio em si, com a ascensão da bioeconomia. Ao longo dos anos o ideal de RSC se tornou mais explícito, embora as práticas permanecessem desacopladas dos anseios da comunidade. O entendimento de que o governo não é capaz de suprir demandas da sociedade evidenciam a natureza política da RSC no Brasil enquanto alternativa ao governo. A abordagem da Exame apresentou incoerências e contradições, a exemplo da não cobertura dos crimes ambientais de Brumadinho e Mariana provocados por mineradoras anteriormente apontadas pela Exame como exemplos de empresas socialmente responsáveis.


Descrição
Área do Conhecimento