Administrador escolar: especialista ou educador?: uma análise a partir do caso sergipano

dc.contributor.advisorFrigotto, Gaudêncio
dc.contributor.authorBezerra, Ada Augusta Celestino
dc.contributor.memberArantes, Esther Maria de Magalhães
dc.contributor.memberMorais, Gizelda Santana
dc.contributor.unidadefgvInstitutos::IESAEpor
dc.date.accessioned2012-03-08T12:46:31Z
dc.date.available2012-03-08T12:46:31Z
dc.date.issued1986-08-11
dc.description.abstractPublic school administration in Sergipe has been submitted to the determinations of the structural-historical context of the state which has changed public schools into mere sites for political party maneuvers. The principals of those schools are represented, as a rule, by people arbitrarily chosen by the state government who immerse the students into the ideology of the dominating upper class. In the prevailing hegemony, the role of this ideology has been a reinforcement to the drop-out and selectivity in public schools and a controlling factor in the distribution of elaborate knowledge among children from the lower classes. There is no difference in the acting of those administrators as far as their policies are concerned. Considering public school s from a progressive perspective and because of the general dissatisfaction observed especially in the state public schools in the capital city and the municipal public schools in the interior of the state, it is suggested in this study that, among other steps, the whole formation process of the educator may emphasize the possibility of his being an organizer of collective pedagogical proposals associated with the community democratization movement. And this should be valid from 'licenciaturas' to 'escolas normaiS' and special training programs for non-professional teachers, extrapolating the scope of discussions about a particular 'habilitação' in the 'Curso de Pedagogia'. It is also proposed a union of forces in the civil society to develop an ample process of discussion to be carried out gradually in the communities (local communities, micro-regional communities, and all-state communities) trying to define the guidelines for educational policies in Sergipe. The mediation that is expected from school organizers is the acting of an administration directed to a basic civil right that every citizen in Sergipe deserves: the competent mastery of accumulated social knowledge. This practice will enable school principals to move from the status of traditional intellectuals to that of progressive intellectuals.eng
dc.description.abstractA administração da educação pública sergipana se tem submetido as determinações do contexto histórico-estrutural do estado, as quais têm reduzido as escolas públicas a meros espaços de manobras político-partidárias. As direções das instituições escolares são ocupadas, via de regra, por pessoas arbitrariamente indicadas pelo Estado, que estão deixando fluir até a clientela a ideologia da classe dominante. Na hegemonia em curso, seu papel tem sido o de reforço à evasão e seletividade da escola pública e o de controlador da distribuição do saber elaborado junto as crianças oriundas das camadas populares. E nesse sentido não se verifica qualquer diferença a partir da habilitação desses administradores. Considerada a escola pública numa perspectiva progressista e dada a insatisfação geral registrada, sobretudo nas escolas estaduais da capital e municipais do interior do estado, sugere-se dentre outras medidas, que todo o processo de formação do educador enfatize sua possibilidade como organizador de propostas pedagógicas coletivas, vinculadas ao movimento de democratização da sociedade. Isto desde as licenciaturas, às escolas normais e programas especiais de preparação do professor leigo, portanto extrapolando o âmbito das discussões sobre uma habilitação do Curso de Pedagogia. Também se propõe a união de forças da sociedade civil e a deflagração de um amplo processo de discussão na sociedade, a ser desenvolvido por etapas (municipal, micro-regional e estadual) tendo em vista a definição de diretrizes para uma política educacional em Sergipe. A mediação que se espera do organizador da escola é o exercício de uma administração de um direito civil básico de todo e cada cidadão sergipano: o domínio competente do saber social acumulado; essa prática ensejará ao diretor de escolas evoluir da postura de intelectual tradicional para a de intelectual progressista.por
dc.identifier.citationBEZERRA, Ada Augusta Celestino. Administrador escolar: especialista ou educador?: uma análise a partir do caso sergipano: : . Dissertação (Mestrado em Educação) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 1986.
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/9368
dc.language.isopor
dc.rightsTodo cuidado foi dispensado para respeitar os direitos autorais deste trabalho. Entretanto, caso esta obra aqui depositada seja protegida por direitos autorais externos a esta instituição, contamos com a compreensão do autor e solicitamos que o mesmo faça contato através do Fale Conosco para que possamos tomar as providências cabíveis.por
dc.subject.areaEducaçãopor
dc.subject.bibliodataAdministradores escolares - Sergipe - Formação profissionalpor
dc.titleAdministrador escolar: especialista ou educador?: uma análise a partir do caso sergipanopor
dc.typeDissertationeng
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
000048339.pdf
Tamanho:
10.53 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição:
PDF
Licença do Pacote
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
4.6 KB
Formato:
Item-specific license agreed upon to submission
Descrição: