Impunity or coordination? The paradox of the hurdles against corruption

Data
2021-09-29
Orientador(res)
Pereira Filho, Carlos Eduardo Ferreira
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Estudos sugerem que a falta de coordenação entre instituições de accountability é uma das principais causas de impunidade no Brasil. A operação Lava Jato parece confirmar esses trabalhos. Funcionando sob a organização de força tarefa coordenada, a operação alcançou resultados inéditos contra a corrupção, condenando atores poderosos. No entanto, a publicação de conversas privadas entre os agentes responsáveis pela operação trouxe questionamentos quanto aos limites da atuação coordenada, em especial quanto à imparcialidade desses agentes. Este estudo busca investigar esse paradoxo: o tradeoff entre impunidade e coordenação. Mais especificamente, analisa a aprovação das pessoas à atuação coordenada quando informadas dos seus custos e benefícios e quais os determinantes desse suporte. Considerando-se a polarização política atual, investiga-se o efeito da ideologia sobre a aprovação através da influência de grupo e do tipo de política pública investigada. Os resultados sugerem que, independentemente da ideologia, as pessoas são a favor da coordenação entre os agentes de controle, ou seja, consideram que os benefícios da coordenação superariam os seus custos. No entanto, quando se associa esse trade off à Lava Jato, a ideologia passa a afetar o apoio. Quanto mais à direita do spectrum ideológico, mais as pessoas apoiariam a atuação coordenada. De forma diversa, as crenças ideológicas, representadas pelo tipo de política pública investigada, não afeta esse suporte. Este trabalho confere suporte aos estudos que sugerem a necessidade de coordenação, contribuindo com a literatura de multiplicidade institucional de accountability. Ainda, expande resultados prévios sobre os efeitos da ideologia e influência de grupo no comportamento político, destacando a importância dos vieses pessoais nas políticas anticorrupção.


Descrição