Essays on migration and political economy

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2022-03-14
Orientador(res)
Costa, Francisco Junqueira Moreira da
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Esta tese contém três artigos independentes sobre temas relacionados à Economia Política, Economia do Trabalho e Desenvolvimento Econômico. Os dois primeiros analisam os efeitos da migração internacional no país de destino, um analisando os canais econômicos subjacentes aos efeitos eleitorais nos EUA e o outro analisando os efeitos no mercado de trabalho brasileiro. O terceiro trata das origens do poder econômico dos líderes religiosos no Brasil. O primeiro é intitulado “Decompondo o efeito político da imigração de baixa escolaridade”. Evidências prévias mostram que a imigração de baixa escolaridade pode induzir mudanças eleitorais para a direita. No entanto, ainda não está claro se este é um fenômeno puramente de curto prazo, ou se tende a persistir ao longo do tempo. Também não está claro se as respostas econômicas de nativos aos choques de imigração podem explicar esse comportamento eleitoral. Este artigo visa a preencher essas duas lacunas analisando as eleições presidenciais nos Estados Unidos entre 1992 e 2016. Nossa estratégia de identificação se baseia em uma versão dinâmica de variáveis instrumentais do tipo shift-share, que nos permitem separar os efeitos de curto prazo e os ajustes de longo prazo. Mostramos que o desemprego entre os nativos de baixa escolaridade e os gastos públicos locais com políticas de assistência social per capita aumentam no curto prazo como resultado da imigração de baixa escolaridade, mas esses efeitos desaparecem com o tempo, enquanto a votação é persistentemente deslocada para os republicanos. As estimativas de um modelo de mediação causal sugerem que 60% do efeito do voto de curto prazo pode ser explicado por essas variáveis, mas se esses fossem os únicos canais em jogo, esperaríamos alguma atenuação na mudança de comportamento eleitoral. Evidências utilizando dados de pesquisas de opinião apontam para a hipótese dos anos impressionáveis como um possível mecanismo por trás desses resultados. O segundo é intitulado “Imigração, dinâmica empresarial e resultados do mercado de trabalho para trabalhadores nativos no Brasil”. Este artigo busca responder a seguinte pergunta de pesquisa: como o aumento da oferta de trabalho de imigrantes afeta o desempenho das empresas e o mercado de trabalho para os nativos? Embora a maior parte da literatura sobre migração se concentre em resultados individuais agregados em algum nível geográfico, contratar um imigrante é uma decisão no nível da empresa que pode alterar seu desempenho e afetar os trabalhadores nativos dentro dessas empresas ou em outras firmas que operam no mesmo mercado de trabalho. Neste artigo, utilizamos dados pareados de empregadores e empregados entre 2000 a 2017 para analisar resultados de firmas e trabalhadores nativos agregados em nível regional. Nossa estratégia empírica combina a localização anterior de imigrantes e os chamados Push Factors no país de origem (por exemplo, desastres ambientais e instabilidade política), fatores que influenciam a saída de migrantes desses países e são plausivelmente não correlacionados com a dinâmica local do mercado de trabalho no Brasil. Encontramos evidências de que a imigração teve um efeito negativo no número de empresas que contratam formalmente em uma região e também nos resultados do mercado de trabalho nativo (diminuição de salários e aumento de demissões). Lançamos luz sobre os mecanismos analisando os resultados no nível do estabelecimento e do trabalhador dentro de uma mesma empresa e entre diferentes empresas. Encontramos evidências contrárias à hipótese de ajuste dentro do mesmo estabelecimento e apontamos para uma mudança para a informalidade como possível mecanismo para os resultados. Por fim, o terceiro se intitula “Dinâmica empresarial secular e expansão religiosa no Brasil”. Este artigo lança luz sobre os determinantes econômicos da expansão religiosa ao estudar as trajetórias de negócios seculares de líderes religiosos. Nossa hipótese é que os empreendedores do setor privado têm um incentivo para atuar e crescer dentro do setor religioso quando seus negócios seculares prosperam. Estudamos o contexto brasileiro, onde a ascensão do Pentecostalismo molda a crescente presença da religião na sociedade. Fornecemos evidências descritivas e resultados de regressões com base em um novo pareamento de dados obtidos de registros de propriedade das empresas (Receita Federal) e registros de vínculos empregador-empregado correspondentes na RAIS. Os dados nos permitem identificar os proprietários de organizações religiosas e rastrear suas trajetórias observando os contratos de trabalho e o desempenho das empresas. Encontramos evidências de que o crescimento em negócios seculares previamente estabelecidos está associado a maiores chances de fundar igrejas. Isso sugere que as atividades seculares e religiosas são complementares e a acumulação de capital em atividades seculares é um importante impulsionador da expansão das igrejas.


Descrição