Residências em Saúde: a percepção da qualidade de vida dos residentes beneficiados pela ação de bonificação durante a pandemia da COVID-19

Data
2022-08-08
Orientador(res)
Nogueira, Jaana Flavia Fernandes
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Objetivo – Este estudo teve como objetivo identificar a percepção da qualidade de vida dos residentes que foram beneficiados pela Ação Estratégica “O Brasil Conta Comigo – Residentes na área de Saúde”, instituída pelo Ministério da Saúde por meio da Portaria nº 580, de 27 de março de 2020, durante o cenário pandêmico de Covid-19. O estudo ainda possibilitou a análise do perfil dos residentes. Metodologia – Os residentes foram convidados a participar voluntariamente do survey disponibilizado na plataforma Qualtrics, entre 10 de janeiro e 28 de fevereiro de 2022. Ao survey foram acrescentadas perguntas para caracterizar o perfil dos residentes. O método escolhido foi o World Health Organization Quality of Life – Bref (WHOQOL-bref). A coleta de dados utilizou a escala likert de cinco pontos, com a análise dos dados realizada no Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) e no Microsoft Excel. Resultados – A pesquisa registrou 6.468 respondentes que atenderam aos critérios da pesquisa, sendo 2.375 (56%) residentes médicos, 3.644 (37%) da área profissional da saúde – modalidade multiprofissional e 449 (7%) da área profissional da saúde – modalidade uniprofissional. Ao analisar os resultados, conclui-se que o perfil dos respondentes do survey é formado, majoritariamente, por jovens de até 35 anos de idade (90%), solteiros(as) (73%), sem dependentes (84%), sendo, em sua maioria, do sexo feminino (73%), com 86% dos residentes cursando a primeira residência. O survey contou com respondentes de todos os estados brasileiros: Sudeste (41%), Nordeste (28%), Sul (15%), Centro-oeste (10%) e Norte (6%). Registra-se que 92% dos residentes atenderam pacientes Covid-19 e 62% foram acometidos pela doença. A pesquisa apontou que 54% dos respondentes não precisou mudar “nenhuma vez” de moradia para evitar a transmissão do vírus e que, para 99% dos respondentes a pandemia impactou a sua vida. O resultado da percepção sobre a qualidade de vida dos residentes da amostra foi considerado na média. Os domínios obtiveram as seguintes pontuações: físico (64) e relações sociais (61), psicológico (59) e meio ambiente (55). A percepção sobre a qualidade de vida foi mais positiva para os residentes sem dependentes do que nos perfis com dependentes. Os residentes que não tiveram Covid-19 registraram um escore positivo, enquanto os residentes que tiveram a doença registraram um escore na média. Os respondentes que não atenderam pacientes Covid-19 obtiveram escores positivos, e o resultado ficou na média para os que atenderam pacientes Covid-19. Limitações – O método utilizado não permite inferir os achados para toda a população de residentes, nem atribuir o resultado para todo o período da pandemia. O método também não permite compreender as motivações e as intenções das respostas sem a utilização de instrumentos complementares. Ademais, não foram encontradas pesquisas equivalentes à Demografia Médica para as profissões não médicas que permitam comparações entre os achados desta pesquisa com estudos prévios. Aplicabilidade do trabalho – A pesquisa pode estimular novas pesquisas sobre a qualidade de vida e sobre o perfil dos residentes, ademais a implementação de métodos de acompanhamento da qualidade de vida dos residentes e a estruturação do cuidado com a saúde dos profissionais em formação. Contribuições para a sociedade – Diante do caráter estruturante dos profissionais da saúde para a assistência à saúde da população brasileira e considerando que o processo de especialização sobrecarrega os residentes, podendo comprometer a sua saúde física e mental durante o processo formativo, os resultados desta pesquisa visam contribuir para o acompanhamento da saúde dos profissionais em formação, promovendo à saúde do residente e da população. Originalidade – Até o presente momento não foram identificados estudos que apresentem uma análise do perfil dos residentes no tamanho da amostra desse estudo, contendo residentes da área profissional em saúde e da residentes médicos. Acrescenta-se ainda que, também não foram encontrados estudos de comparação entre a qualidade de vida dos residentes das modalidades de residência.


Descrição