Feriado ameaça aumentar índice de abstenção no segundo turno do Rio

Resumo

Como se não bastasse o recorde de 1,8 milhão de eleitores, 38% do total, que deixaram de votar ou preferiram não escolher um dos candidatos no Rio, os índices de abstenção e votos em branco e nulos, na avaliação de cientistas políticos ouvidos pelo GLOBO, devem ser ainda maiores no segundo turno. Um fator que pode prejudicar o comparecimento é o feriado do Dia do Servidor Público, na sexta-feira que antecede o pleito, e que pode incentivar o deslocamento de parte dos moradores da cidade para longe de suas zonas eleitorais. A possibilidade de as abstenções aumentarem significativamente no segundo turno preocupa os dois candidatos, que terão como desafio adicional fazer o eleitor comparecer às urnas. Marcelo Freixo, do PSOL, diz que busca dialogar com o 'eleitor de ninguém, que venceu a eleição no primeiro turno' como estratégia para estimular o voto. Para o candidato do PRB, Marcelo Crivella, o grande medo dos políticos hoje é justamente a abstenção, 'fruto do desalento' explicado por ele pelo 'caleidoscópio de escândalos que virou a política'.


Descrição
Palavras-chave

Área do Conhecimento