A entrada do Pix no sistema de pagamentos do Brasil e o cenário para a Caixa Econômica Federal

Data
2021-11-18
Orientador(res)
Barbosa, Nelson
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

O texto discorre sobre a história dos meios de pagamentos, desde os tempos primitivos, quando a moeda era um meio de troca, passando pelos importantes marcos a exemplo de: o entendimento do dinheiro como um sistema de crédito e compensação, representado pela moeda; o aparecimento das moedas de bronze; as cédulas de papel; os cheques; os primeiros cartões; as carteiras digitais; as criptomoedas; e mais recentemente, no Brasil, o Sistema de Pagamentos Instantâneos (PIX), e o Open Banking, implementados pelo BCB em novembro/2020 e fevereiro de 2021, respectivamente. Descreve e detalha o novo meio de pagamento – Pix, criado com o objetivo de revolucionar e simplificar a forma de realizar transferências e pagamentos, além de permitir que estas operações sejam realizadas a qualquer dia e em qualquer hora, instantaneamente e sem custos, e como tem-se consolidado como como uma das principais formas de pagamento no país. Fala sobre os desafios ainda precisam ser vencidos pelo Pix, como a baixa adesão pelo comércio e uma parcela da população que ainda se mostra insegura para aderir ao Pix, e como o Banco Central tem atuado para que o meio de pagamento se torne cada vez mais universal, dada a agenda evolutiva em implantação, com alguns marcos a serem alcançados como: conta salário Pix; mecanismos de devolução; Pix saque e Pix troco; débito automático Pix; avanços no Pix cobrança; Pix offline; e Pix internacional. Informa como a Caixa tem acompanhado e investido no movimento do Pix, seguindo o calendário do banco Central. E relata como nos últimos anos, desde 2019, alguns eventos influenciaram os resultados e direcionamento dos investimentos e ações pela atual Gestão da Caixa, são eles a pandemia do COVID19 e o novo meio e pagamentos – Pix.


Descrição
Área do Conhecimento