O legado olímpico e políticas públicas para as cidades-sede: uma análise comparativa entre Rio de Janeiro e Barcelona

Data
2023-12-12
Orientador(res)
Menezes, Aline Brêtas de
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Objetivo: Apresentar um diagnóstico atual das políticas públicas esportivas que estejam colaborando para o legado olímpico esportivo da cidade do Rio de Janeiro, comparando suas características e indicadores equivalentes na cidade de Barcelona entre 2017 e 2022. Metodologia: O primeiro passo do trabalho foi a realização de uma revisão bibliográfica utilizando as seguintes palavras-chave: megaeventos esportivos, grandes eventos, legado olímpico, jogos olímpicos, olimpíadas, políticas públicas, manifestações desportivas, nos idiomas português e inglês. Na segunda fase, foi feita uma coleta de dados das políticas públicas esportivas, durante o período de 2017 a 2022, nos órgãos municipais responsáveis pela promoção do esporte e lazer em suas regiões administrativas: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, Ajuntament de Barcelona e Institut Barcelona Esports. A terceira fase foi de consolidação dos dados através do software MAXQDA versão 2022. Na última etapa, foi realizado um levantamento de códigos na plataforma, de forma a categorizar elementos chave que foram considerados partes das políticas públicas esportivas e comparadas entre as cidades. Resultados: Na análise comparativa entre as políticas públicas das cidades-sede dos Jogos Olímpicos (Rio de Janeiro e Barcelona), observa-se que o Rio de Janeiro apresentou discrepâncias no planejamento e execução de políticas públicas esportivas. A gestão das infraestruturas esportivas do legado olímpico na cidade é descentralizada e não padronizada, e o esporte e a atividade física não receberam alta prioridade nas políticas públicas, resultando em altos níveis de sedentarismo na população. A cidade ainda recebe recursos federais para manter o seu legado olímpico e apresenta valores muito diferentes quando comparados anos consecutivos. Comparativamente, Barcelona possui mais recursos dedicados à política de esporte e lazer, possuindo planejamento participativo de vários setores sociais para estimular o esporte na cidade. No que diz respeito às manifestações esportivas, o Rio de Janeiro investiu no desporto de participação, mas não priorizou o legado olímpico em seus planos. Barcelona, por outro lado, tem uma abordagem mais abrangente em relação a esses temas, enfatizando o fomento ao esporte educacional, o papel econômico do esporte e o estímulo à atividade física da população como elementos centrais em seu planejamento e execução. Além disso, Barcelona mantém gastos correntes mais equilibrados e estáveis em suas políticas públicas. Limitações: Na análise comparativa de políticas públicas relacionadas à gestão do legado olímpico nas duas cidades, há dificuldades práticas em se considerar todos os stakeholders em virtude da limitação de tempo e de recursos; os mais organizados tendem a ser investigados. Aplicabilidade do trabalho: Este trabalho pretende apresentar uma contribuição para a prática ao investigar como a cidade do Rio de Janeiro pode gerir de forma eficiente o legado olímpico de 2016 por meio de políticas públicas esportivas existentes na cidade de Barcelona, considerada caso de sucesso no segmento. Contribuições para a sociedade: Com uma gestão mais eficiente, através de políticas públicas adequadas, promover a melhoria do bem-estar social da população da cidade do Rio de Janeiro. Esta melhoria pode contribuir para aumentar os níveis de atividade física populacional e, por consequência influenciar positivamente em indicadores sociais. Originalidade: Não foram encontradas referências que buscassem uma análise comparativa entre as políticas públicas esportivas de cidades que possuem estruturas de legado olímpico.


Descrição