Do Peruvian financial intermediaries face financial constraints? Evidence from a regulatory change

Data
2017-01-19
Orientador(res)
Schiozer, Rafael Felipe
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Os intermediários financeiros como as instituições de micro finanças representam uma fonte significativa de fundos em mercados emergentes. As micro finanças no mercado bancário peruano tiveram uma grande evolução, criando um bom ambiente para seu desenvolvimento. Assim, nos últimos 8 anos o Peru tornou-se um dos principais países na prática de micro finanças, enquanto a economia também experimentou taxas de crescimento sustentáveis acima da média da região. No entanto, estudos sobre intermediários financeiros, principalmente em instituições de micro finanças, ainda são poucos para contextos de mercados emergentes. A literatura também demonstra a importância dos intermediários financeiros, bem como uma série de fricções financeiras em suas atividades de provisão de liquidez como agentes econômicos. Ao respeito disso, este estudo tem como objetivo identificar se os intermediários financeiros no Peru enfrentam restrições de financiamento, sando um choque quase exógeno (mudança de regulação), que aumentou o escopo de operações de crédito de intermediários de pequeno porte, comparando-as aos bancos, que não foram afetados pela medida regulatória. A amostra utilizada é o universo de intermediários financeiros peruanos entre 2004 e 2014. Os resultados encontrados no modelo Diff-in-Diff, indicam que os intermediários financeiros pequenos, são financeiramente restritos, uma vez que o seu custo de captação aumenta em relação ao dos bancos após o choque regulatório . Os resultados sugerem que o custo dos depósitos tem um papel importante num contexto de expansão de crédito num mercado emergente. Esses resultados evidenciam a existência de fricções nos mercados financeiros de uma economia emergente.


Descrição
Área do Conhecimento