Estimando o desalinhamento cambial brasileiro: uma análise de robustez a partir do modelo global com mecanismo de correção de erros

dc.contributor.affiliationFundação Getúlio Vargas - FGV
dc.contributor.authorMarçal, Emerson Fernandes
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EESP
dc.date.accessioned2018-04-06T13:15:14Z
dc.date.available2018-04-06T13:15:14Z
dc.date.issued2015-09-01
dc.description.abstractThis paper aims to compare two different methodologies to estimate exchange rate misalignment. The first methodology consists of using multivariate time series techniques and a model with domestic variables. The second methodology consists of Pesaran's Global Error Correction Model with global factors (GVECM). The Brazilian case is analyzed using these two methodologies. The results of exchange misalignment estimates are different particularly in their magnitude terms but not in their signs. Both methodologies suggest that the channel by which terms of trade affect exchange rate is indirect. Improvement in Brazilian terms of trade induces improvement in net foreign investment position by affecting current account result. These improvements also induce a real exchange rate appreciation in the long run. In recent period, this channel appears to play an important role in explaining Brazilian exchange rate fundamental improvement. The results from GVECM suggest that the level of Brazilian real exchange rate is linked to the level of real exchange of its main trading partners.eng
dc.description.abstractO presente trabalho tem por objetivo comparar duas metodologias para cálculo de desalinhamento cambial. A primeira metodologia consiste na estimação do desalinhamento cambial a partir de técnicas multivariadas de séries de tempo nas quais apenas variáveis associadas ao país em análise são utilizadas na modelagem. A segunda metodologia consiste na utilização de fatores globais, como sugerido pelo Modelo Vetorial Autorregressivo com Correção de Erros Global (VAR-MCEG). O caso brasileiro é analisado a partir das duas metodologias. Os resultados sugerem que as estimativas podem diferir em magnitude para diferentes períodos. Ambas as metodologias sugerem que o canal pelo qual termos de troca afetam a taxa de câmbio real brasileiro é indireto. Melhorias de termos de troca levam a uma melhora da posição internacional de investimento e, logo, geram uma valorização da moeda brasileira. Os resultados da metodologia GVECM sugerem que a taxa de câmbio real brasileira é afetada no longo prazo pelo nível de taxa de câmbio real dos seus parceiros comerciais.por
dc.identifier.citationEstudos Econômicos (São Paulo). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), v. 45, n. 3, p. 593-623, 2015.
dc.identifier.doi10.1590/0101-416145355efm
dc.identifier.fileS0101-41612015000300593.pdf
dc.identifier.issn0101-4161
dc.identifier.scieloS0101-41612015000300593
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/21182
dc.language.isopor
dc.publisherFaculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP)
dc.relation.ispartofseriesEstudos Econômicos (São Paulo)
dc.rights.accessRightsopenAccesseng
dc.sourceSciELO
dc.subjectGVECMeng
dc.subjectCointegrationeng
dc.subjectVECM globalpor
dc.subjectCointegraçãopor
dc.subject.areaEconomiapor
dc.subject.bibliodataTaxa de câmbiopor
dc.subject.bibliodataCointegraçãopor
dc.subject.bibliodataModelos econométricospor
dc.titleEstimando o desalinhamento cambial brasileiro: uma análise de robustez a partir do modelo global com mecanismo de correção de errospor
dc.typeArticle (Journal/Review)eng
Arquivos
Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
S0101-41612015000300593.pdf
Tamanho:
1.41 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format