Essays on the macroeconomics of climate change

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2023-08-18
Orientador(res)
Teles, Vladimir Kuhl
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Esta dissertação é composta por dois artigos. No primeiro artigo, partimos de dados empíricos de 1971 a 2021 para estabelecer a relação entre as emissões domésticas de CO2 do Brasil e o PIB. Em seguida, baseamos-nos em um modelo desenvolvido por Heutel (2012) para simular o impacto dos impostos na economia na presença de choques persistentes de produtividade. Além disso, consideramos o papel da assimetria de informações, que tem sido negligenciada no contexto brasileiro. Exploramos como essa característica influencia as decisões políticas e a resposta política ótima em um modelo Equilíbrio Geral Dinâmico Estocástico (DSGE) calibrado para o Brasil. Nossas descobertas contribuem para a literatura sobre economia ambiental e macroeconomia aplicada, jogando luz sobre a interação entre condições macroeconômicas, emissões e política climática no Brasil. Nossos resultados destacam a relação inelástica entre o PIB e as emissões de CO2 e a necessidade de políticas direcionadas para reduzir efetivamente as emissões. Finalmente, demonstramos que a assimetria de informações resulta em um ajuste intensificado na taxa de imposto em resposta a desvios na produção e nas emissões, implicando a necessidade de medidas políticas mais responsivas para garantir a estabilidade ambiental e econômica. No segundo artigo, focamos nas incertezas que cercam a implementação de políticas climáticas e sua influência nas variáveis macroeconômicas. Estendendo o modelo DSGE que incorpora setores poluentes e estoque de poluição como externalidades negativas desenvolvido por Annicchiarico and Di Dio (2015) com uma estrutura de Markov-Switching, essa pesquisa avalia as transições entre diferentes regimes de políticas, a saber, "Sem Política", "Meta de Emissões Ordenada"e "Meta de Emissões Desordenada". O estudo considera as respostas do ciclo de negócios à possível implementação de políticas climáticas, onde ocorrem rigidez de preços nominais e diferentes choques. O modelo é calibrado para o Brasil, marcando uma abordagem inovadora para estudar os impactos da política climática na economia brasileira. Os resultados mostram que a implementação de uma política ambiental leva a uma diminuição nos indicadores econômicos no cenário desordenado devido às reduções de emissões mais severas. No entanto, essa diminuição é acompanhada por uma redução considerável nas emissões, com mudanças significativas observadas ao fazer a transição de um regime "Sem Política"para transições ordenadas ou desordenadas. As descobertas sublinham a importância de transições bem planejadas para políticas climáticas.


Descrição
Área do Conhecimento