Cirrose fiscal pode ser mais grave que infarto fiscal