Efeito de choque de demanda sobre bens duráveis versus não duráveis: a crise da COVID-19

Data
2024
Orientador(res)
Mattos, Enlinson
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Em meio à complexidade econômica que entrelaça as últimas décadas, a pandemia da COVID-19 emerge como um catalisador singular de desafios, intensificando fissuras em alguns setores produtivos. Este estudo, centrado no faturamento da produção industrial paulista, visa aprofundar a análise das implicações do choque de demanda nos segmentos de bens duráveis e não duráveis durante a crise. Com os setores de carnes e automotivo como grupos de controle e tratamento, respectivamente, e utilizando a metodologia de Diferenças em Diferenças, os resultados preliminares indicam resiliência no setor de alimentos e uma queda relativa da ordem de mais de 60% no faturamento das empresas do setor automotivo seguida de uma recuperação expressiva em cerca de três meses aos níveis de normalidade. A análise conjunta destes resultados corrobora que a magnitude relativa da queda no setor de bens duráveis analisado em relação ao setor de bens essenciais foi notavelmente expressiva, alinhando-se com padrões históricos de crises anteriores.


Descrição
Área do Conhecimento