Os desafios do escambo digital em uma startup de impacto social: blockchain como solução?

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2022-08-25
Orientador(res)
Santos, Jefferson de Barros
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Objetivo - Mapear os fatores de sucesso e insucesso que permeiam o escambo moderno em uma startup de impacto social e identificar se a tecnologia blockchain poderia contribuir nas soluções de suas lacunas de qualidade. Metodologia - O desenho da pesquisa é o estudo de caso único. Este estudo classificase como uma pesquisa qualitativa e se caracteriza na concepção construtivista. Para analisar o conteúdo textual das entrevistas foi utilizado a análise de conteúdo, com uso do software IRaMuTeQ. A pesquisa traz o escambo digital no Brasil em uma startup de impacto social, não encontrando outros trabalhos com o mesmo estudo. A startup Troqueiro iniciou suas atividades há dois anos, 2020, após ganhar o prêmio em um hackathon em Fortaleza, onde inicialmente o que os moveu foi a possibilidade de criar uma solução para a comunidade do Ceará, para movimentar a economia local. O estudo traz os desafios encontrados pela startup e as oportunidades de melhoria através do blockchain. Resultados - A primeira parte do objetivo final desta pesquisa foi atingido através do tratamento dos dados, com a sistematização dos resultados que evidenciaram os fatores de sucesso como: “Propósito”; “Logística”; “Dedicação do Time”; “Capacitação Interna”; “Capacitação Externa” e “Relação com a Comunidade”. Os fatores de insucesso também foram evidenciados no estudo, conforme segue: a questão “Cultural”, que engloba o “Acesso Digital” e a “Falta de E-mail”; “Plataforma”; “Restrições de Mercado” e “Falta de Recursos”. A segunda parte do objetivo final também foi atingido, visto o aprofundamento na tecnologia blockchain, analisando seus benefícios e possível aplicabilidade no escambo de bens e serviços no mundo moderno. Desta forma, as soluções passam por melhorias na plataforma: buscando aumentar a confiança dos usuários, visto que a desconfiança existe por vários lados, desde a falta de confiança no outro que está participando da troca, até a desconfiança relacionada a conclusão da troca; através da utilização de uma “Moeda Social Digital”, abordada pelos entrevistados como o “Tumtum”; dentre outros fatores de melhoria. Além disso, problemas demonstrados, tendem a ser resolvidos com a substituição pela tecnologia blockchain. Limitações - Com relação a estudos de plataformas que já utilizam o blockchain para a prática de escambo, não foi possível encontrar estudos de projetos realizados no Brasil, apenas um estudo da Turquia e outro sobre uma plataforma “Barter Machine” que está em teste na Ethereum, mas nos dois casos eles ainda estão passando por validações. Contribuições Práticas - As contribuições resultantes deste estudo, poderão ser relevantes para empreendedores e investidores que queiram explorar negócios de escambo com tecnologia blockchain ou para aqueles que desejam iniciar um projeto social que envolva uma plataforma digital. Além de influenciar na reflexão sobre o uso do blockchain na troca de produtos e serviços, junto a Empresas que já possuem uma plataforma digital com outras tecnologias, como o caso do Troqueiro, que hoje utiliza uma plataforma de escambo digital para atuar em comunidades do Ceará com escambo de bens e serviços. Contribuições Sociais - A entrevista com a empresa de escambo digital no Brasil forneceu mais que uma visão sobre a plataforma digital, evidenciou os desafios encontrados na implantação de uma plataforma digital em comunidades, beneficiando empreendedores que possuem interesse em trabalhar com o escambo digital e pessoas que tiverem interesse de iniciar um projeto social.


Descrição