Comunicação, semiótica e fabricação da realidade: análise de mensagens publicitárias impressas do Banco Itaú

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2005-11-11
Orientador(res)
Blikstein, Izidoro
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Trata da questão da eficácia da comunicação publicitária, analisada com base em discussões sobre o universo da publicidade, os modelos comunicacionais, a semiótica – a teoria geral dos signos e da significação de Peirce, e o processo pelo qual a realidade dos anúncios é fabricada. O trabalho possibilita a compreensão dos elementos que formam o contexto publicitário, levando à visão do anúncio como um processo comunicacional entre a empresa e o consumidor. Nessa comunicação, a empresa faz uso de uma mensagem publicitária elaborada por um remetente, com o intuito de persuadir o destinatário – o cliente – a produzir a resposta desejada. Para que tal objetivo seja realizado, mostra-se que o criador do anúncio deve lançar mão do profundo conhecimento do repertório do consumidor, ou seja, deve conhecer a maneira pela qual o destinatário interpreta os signos presentes na mensagem publicitária. Dessa forma, grande parte da ênfase do estudo está relacionada com a criação de subsídios para o entendimento de que o criador do anúncio, pela propaganda, deve ter por objetivo a fabricação de uma realidade que produza um sentido condizente com o processo de significação realizado pelo cliente. Para exemplificação da avaliação da eficácia da mensagem publicitária, o conhecimento aqui obtido é aplicado ao caso específico do Banco Itaú, empresa da qual alguns anúncios impressos são analisados. O trabalho pode auxiliar não só profissionais da área de publicidade, mas também todos aqueles interessados em compreender os elementos essenciais que tornam uma comunicação eficaz, principalmente no contexto mercadológico.


Descrição
Área do Conhecimento