Usando a metodologia pestle como análise do descomissionamento em águas rasas no Brasil

Data
2022-07-08
Orientador(res)
Fouad, Sami Hisham Leal
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

Objetivo: Gerar ideias e recomendações para que os procedimentos de Descomissionamento se tornem simples, de fácil entendimento e totalmente alinhados com os sinais dados pelo mercado, transformando oportunidades em realidades e evitando interpretações que possam afugentar empresas que tenham interesse em investir no país, tanto em campos maduros quanto dentro da cadeia de suprimento e serviços correlatos. No contexto desta pesquisa acadêmica, há de se abordar a posição das potencialidades de negócios do Brasil dentro do mercado de óleo e gás e verificar as experiências de outros países com maior maturidade no assunto, que poderão servir como parâmetro e também trazer a visão de outros emergentes que se aproximem um pouco mais da nossa realidade. O estudo aplicou a metodologia Political, Economical, Social, Technological, Legal and Environmental (PESTLE) como forma de analisar as condições do mercado brasileiro, recomendando então ações para que se possa criar um ambiente de negócios favorável e, por consequência, despertar o interesse de empresas de petróleo que buscam investimentos mais seguros. Metodologia: Esta pesquisa qualitativa relacionou o contexto descrito anteriormente com as entrevistas qualitativas de aproximadamente dez figuras de destaque dentro da indústria brasileira de óleo e gás brasileira, que ocupa posições em operadoras, governo, academia e investidores. O cruzamento de informações coletadas dentro do contexto do país com as entrevistas realizadas trouxe as perspectivas do mercado, o ponto de vista das empresas interessadas e, portanto, os conceitos comuns e divergentes dentro da atividade de Descomissionamento. O referencial teórico que sustentou este trabalho científico baseia-se na metodologia PESTLE como forma de análise do contexto interno e do macro ambiente e na vantagem competitiva através da otimização e maximização de campos maduros, tudo de forma a destacar os conceitos de sustentabilidade que o mercado de óleo e gás requer. Resultados: Há uma convergência entre os dados coletados dos artigos científicos utilizados neste trabalho e as opiniões extraídas dos entrevistados durante os seus depoimentos em relação à ausência de um marco regulatório homogêneo. Ambos entendem que essa ferramenta poderia trazer mais transparência e menor complexidade na compreensão dos direitos e deveres dos operadores e possíveis investidores em relação ao processo de Descomissionamento ao final do ciclo de operação de uma instalação offshore. Destaca-se também a falta de coordenação e sinergia entre os órgãos de governo e estado, que, mesmo de forma involuntária, acabam por criar lentidão e processos demasiadamente burocráticos. Por fim, identifica-se uma deficiência de estrutura física e, muitas vezes, até expertise local, afetando o desenvolvimento da cadeia de suprimentos diretamente ligados aos processos de Descomissionamento. Análises/Recomendações: Na busca de um ambiente de negócios mais favorável, que sirva de plataforma de desenvolvimento para toda uma cadeia de suprimentos parcialmente adormecida, o estudo sugere um aprofundamento de algumas alternativas que parecem ser factíveis de serem implementadas, como, por exemplo, a extinção do REPETRO para as atividades de Descomissionamento ou o estudo para a criação de um HUB sul-americano de negócios dessa atividade no Brasil. Com o sólido propósito de aumentar a competitividade brasileira na captação de investimentos mais contundentes em todo o portfólio disponível e de se disponibilizar de campos maduros no offshore brasileiro, concluiu-se o trabalho com a expectativa de que se alcançará o alvo de atrair novos entrantes para esse mercado.


Descrição