How ready is Rio de Janeiro to be a smart city?

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2020-06-30
Orientador(res)
Joia, Luiz Antonio
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo

A urbanização ocorrerá principalmente nos países em desenvolvimento. O conceito de cidade inteligente promete aumentar a eficiência e melhorar as infraestruturas nas cidades para gerir esta densidade acres- cida. O êxito da implementação de cidades inteligentes nos países em desenvolvimento é complexo e problemático. Por conseguinte, um governo tem de avaliar a disponibilidade da cidade para se preparar melhor para a adoção da cidade inteligente. O espectro inadequado de fatores influenciadores dos atuais quadros de preparação sugeriu o desenvolvimento de um novo meta-modelo de preparação para a cidade inteligente. Tal foi então aplicado à cidade do Rio de Janeiro no Brasil. Os participantes classificaram cada um dos fatores do modelo num inquérito. As notações foram ainda validadas por dados adicionais de outras fontes de investigação. O meta-modelo desenvolvido é composto por cinco níveis de pronti- dão: preparação tecnológica, organizacional, ambiental, cultural e EPEL (preparação económica, polí- tica, ética e legal). O Rio tem um fraco desempenho em estes níveis. A infraestrutura tecnológica frag- mentada, a má colaboração entre as partes interessadas, a difícil situação financeira, bem como a insta- bilidade económica e política comprometem a preparação do Rio para se tornar uma cidade inteligente. Os resultados deste estudo implicam que o Governo do Rio deve incluir cidadãos de todos os bairros, otimizar a utilização dos recursos e concentrar-se numa estratégia que promova a colaboração entre as partes interessadas. Além disso, o meta-modelo criado proporciona aos responsáveis políticos dos países em desenvolvimento uma ferramenta para avaliar o seu estado atual de preparação para a cidade inteli- gente.


Descrição